Análise: A elitização do pop e a colaboração de Madonna e Anitta

  • Lançamento: Previsto para 2019

O que se imaginava causar comoção e orgulho entre os consumidores de música pop brasileiros acabou se tornando um rebuliço. Desde que surgiram rumores sobre o próximo álbum de Madonna, que já está em fase de produção, que incluíam uma participação da cantora brasileira Anitta, as reações já não foram muito boas. Após a confirmação através de postagens das cantoras e demonstrações de carinho, poucos ficaram contentes: boa parte dos fãs da cantora americana chegaram a afirmar que a cantora desceu o nível. Mas por quê? Esse nível seria sobre o talento de Anitta ou sobre seu gênero musical e tudo o que representa?

Como todos já sabem, Anitta alcançou o sucesso nacional em 2013, com o hit Show das Poderosas. Antes disso, a cantora se apresentava em bailes funk e pequenos shows na periferia do Rio de Janeiro. Apesar de uma tentativa de mudança de imagem midiática, a cantora brasileira acabou optando por não abandonar as suas raízes. Sempre foi um exemplo de empoderamento feminino, apesar de não saber usar tão bem a sua popularidade para a promoção de ideais feministas. E isso é a única coisa que a diferencia da Madonna do início de carreira, já que ambas as cantoras foram vistas como superficiais, sem talento, hipersexualizadas e muitos afirmavam ser uma fama passageira, de apenas um hit. Ambas nos surpreenderam e acabaram se consolidando.

Mesmo tendo conhecimento disso tudo, por quê alguns fãs mais antigos continuam afirmando que Madonna está “descendo de nível” ao colaborar com Anitta? Uma das justificativas foi a comparação de trabalhos mais antigos, como o álbum Bedtime Stories, de 1994, afirmando serem superiores a trabalhos um pouco mais recentes, como o álbum Hard Candy, de 2008, e um dos motivos são exatamente as colaborações de baixo nível. O álbum Hard Candy contou com a participação de rappers e produtores de Hip-Hop e R&B em boa parte das faixas. O álbum Bedtime Stories também. A colaboração entre Madonna e Anitta não fugiria desse estilo periférico. A diferença está na nacionalidade.

Estariam os brasileiros realmente sofrendo o complexo de vira-lata? Custa tanto assim aceitar o sucesso de um brasileiro? Seria isso ciúmes?

A canção ainda não foi lançada mas já deu o que falar. Enquanto isso, os fãs de Anitta receberam a notícia de forma mais positiva e se orgulharam da cantora. O engajamento dos fãs de Anitta é maior do que o dos fãs de Madonna nas redes sociais, o que torna a opinião ainda mais significativa. E você, o que acha dessa colaboração?

Comente com o Disqus